Brasil, meu Brasil brasileiro

Já li muitas matérias sobre a síndrome do regresso, e todo o processo de readaptação ao Brasil depois de morar fora. Eu não voltei de vez, mas pude sentir alguns dos sintomas. Da primeira vez que voltei, como fiquei mais tempo, depois de alguns meses comecei a sentir muito tédio e a comparação entre os países foi inevitável, tudo bem, eu estava de férias, e ninguém mais estava, então tinham muitos momentos que realmente não tinha nada pra fazer, e eu sempre pensava o que eu estaria fazendo se estivesse no Canadá, principalmente porque era verão, a melhor época do ano por aqui.

Dessa vez, minha visita foi mais rápida, e como sempre, muito boa. Mas a comparação é sempre inevitável. Como na matéria, o primeiro sintoma foi a sensação de estar ficando pra titia, não que eu ligue muito pra isso, mas é meio estranho voltar e ver que seus amigos já estão se casando, tendo filhos, e você continua sem planos de constituir família, mas enfim, minha prioridade é outra, e eu acho que estou no caminho certo.

Outro ponto que é falado na matéria é da pessoa que voltou ser considerada esnobe por só falar sobre o outro país, eu pude perceber um pouco disso quando eu começava a contar muitas histórias, e por isso me abstive a apenas responder às perguntas, mais detalhes e histórias eram contadas apenas pras as pessoas mais próximas ou pra quem realmente queria saber.

Esse tipo de impacto acontece com qualquer pessoa que se muda ou viaja, mesmo de uma cidade pra outra, quando a pessoa começa a ver coisas diferentes, a mentalidade começa a mudar e algumas vezes é difícil se adaptar novamente. Algumas pessoas se tornam desinteressantes, os lugares e programas já não são mais tão legais. Eu não sei se me adaptaria se voltasse pro Brasil, mas tem algumas coisas que nunca me adaptaria, como por exemplo a violência, insegurança e burocracias.

Enfim, querendo ou não, quando se acostuma com alguma coisa boa é difícil voltar pro que era ruim, e pelo que parece, algumas coisas infelizmente nunca mudam no Brasil, o que não significa que o Canadá é perfeito também. O ideal seria levar a organição e a segurança daqui pra lá, aí sim ficaria perfeito! Sou brasileira e sempre amarei meu país mas que é difícil pensar em voltar, ah isso é.


5 Comment

  1. Wonderful imagery!

  2. Wonderful imagery!

  3. Yvys Bertuce says:

    Mariana: Volte sempre que necessário / possível para ver e matar a saudades da família e dos reais amigos…e depois que fizer, volte para um país que se importe com o seu cidadão (como o Canadá).
    As coisas estão ficando cada vez mais insustentáveis aqui no Brasil e eu estou ficando realmente incomodado em São Paulo. A mídia é uma grande vassoura que está tentando encobrir o máximo possível de coisas podres pra debaixo do tapete, principalmente nesse ano de Copa do Mundo no Brasil.
    Os preços de tudo está EXTREMAMENTE ABUSIVO e morar em uma cidade como São Paulo, já é mais caro do que muitas cidades europeias como a incrível Paris, por exemplo.
    Pagamos altos tributos e não temos o menor retorno disso. A maioria da população está vivendo entorpecida por conteúdos baixos na televisão aberta (Big Brother Brasil, João Kleber, Luciana Gimenez, Ratinho, Faustão, blá blá blá…etc etc etc…) e não se vê nenhuma expectativa de melhora deste quadro. Não se espera que essa população acorde tão cedo.
    Sem falar que a música que uma grande parcela de brasileiros estão ouvindo, na minha opinião, é podre e grande fator contribuinte para a decadência da nação. Exemplo o Funk Brasileiro (James Brown se revira no túmulo agora por conta do nome) que está cada vez mais depravado com suas letras pejorativas de forma explícita e incentivando ao consumo exacerbado de álcool, outras drogas e também a compra desenfreada de roupas de marca e artigos de luxo para "OSTENTAR" um padrão de vida ilusório, já que a verdade é que muitos que aderiram a esse life style não priorizam estudar, enriquecer intelecto, cultura e ter uma segurança financeira ou qualquer outro tipo de planejamento.
    É lamentável.
    Eu sinto muitíssimo porque gostaria de ficar no Brasil, amar o Brasil (não só as belezas naturais como eu já amo) mas o país mesmo! Ter orgulho de um representante político (que ilusão) que viesse a defender e reivindicar realmente o seu povo, seus vizinhos… mas na boa?…pelas projeções, eu não hesito em escrever que isso não vai acontecer na minha geração, nem na do meu filho e talvez nem na do meu neto (não o meu exatamente porque não criarei filhos no Brasil)…mas o de tantos outros amigos que estão por aí nascendo e crescendo.
    Escrevo esse texto com até certa dor… tristeza mesmo, porque sei que esse país precisa de pessoas boas aqui, pessoas de bom coração, de moral, inteligentes e cheias de vida para tentar mudar esse panorama.
    Mas sem demagogia, uma andorinha não faz verão e a vida é muito curta para ficarmos vivendo infelizes.
    Mari… eu vou sair daqui e vou sem medo. Não vejo a hora aliás…
    E só voltarei para tomar minha caipirinha e esquentar os ossos em alguma praia, mas voltarei para o meu lar rapidamente, onde vou ter segurança e tranquilidade de vida. Itens básicos imprescindíveis para tranquilidade espiritual e mental.
    Beijos! 😉

  4. Yvys Bertuce says:

    Mariana: Volte sempre que necessário / possível para ver e matar a saudades da família e dos reais amigos…e depois que fizer, volte para um país que se importe com o seu cidadão (como o Canadá).
    As coisas estão ficando cada vez mais insustentáveis aqui no Brasil e eu estou ficando realmente incomodado em São Paulo. A mídia é uma grande vassoura que está tentando encobrir o máximo possível de coisas podres pra debaixo do tapete, principalmente nesse ano de Copa do Mundo no Brasil.
    Os preços de tudo está EXTREMAMENTE ABUSIVO e morar em uma cidade como São Paulo, já é mais caro do que muitas cidades europeias como a incrível Paris, por exemplo.
    Pagamos altos tributos e não temos o menor retorno disso. A maioria da população está vivendo entorpecida por conteúdos baixos na televisão aberta (Big Brother Brasil, João Kleber, Luciana Gimenez, Ratinho, Faustão, blá blá blá…etc etc etc…) e não se vê nenhuma expectativa de melhora deste quadro. Não se espera que essa população acorde tão cedo.
    Sem falar que a música que uma grande parcela de brasileiros estão ouvindo, na minha opinião, é podre e grande fator contribuinte para a decadência da nação. Exemplo o Funk Brasileiro (James Brown se revira no túmulo agora por conta do nome) que está cada vez mais depravado com suas letras pejorativas de forma explícita e incentivando ao consumo exacerbado de álcool, outras drogas e também a compra desenfreada de roupas de marca e artigos de luxo para "OSTENTAR" um padrão de vida ilusório, já que a verdade é que muitos que aderiram a esse life style não priorizam estudar, enriquecer intelecto, cultura e ter uma segurança financeira ou qualquer outro tipo de planejamento.
    É lamentável.
    Eu sinto muitíssimo porque gostaria de ficar no Brasil, amar o Brasil (não só as belezas naturais como eu já amo) mas o país mesmo! Ter orgulho de um representante político (que ilusão) que viesse a defender e reivindicar realmente o seu povo, seus vizinhos… mas na boa?…pelas projeções, eu não hesito em escrever que isso não vai acontecer na minha geração, nem na do meu filho e talvez nem na do meu neto (não o meu exatamente porque não criarei filhos no Brasil)…mas o de tantos outros amigos que estão por aí nascendo e crescendo.
    Escrevo esse texto com até certa dor… tristeza mesmo, porque sei que esse país precisa de pessoas boas aqui, pessoas de bom coração, de moral, inteligentes e cheias de vida para tentar mudar esse panorama.
    Mas sem demagogia, uma andorinha não faz verão e a vida é muito curta para ficarmos vivendo infelizes.
    Mari… eu vou sair daqui e vou sem medo. Não vejo a hora aliás…
    E só voltarei para tomar minha caipirinha e esquentar os ossos em alguma praia, mas voltarei para o meu lar rapidamente, onde vou ter segurança e tranquilidade de vida. Itens básicos imprescindíveis para tranquilidade espiritual e mental.
    Beijos! 😉

  5. Olá Yvys, entendo perfeitamente sua indignação. Estou no Brasil de férias e tudo o que eu vejo é um caos generalizado. Infelizmente as coisas por aqui mudam muito devagar, ou simplesmente continuam na mesma.

    Mudar de país é uma decisão difícil, muita coisa está em jogo, mas quando se acostuma com as coisas boas fica difícil de voltar atras. Eu ainda não estou no Canadá em definitivo, mas com certeza lutarei por isso, e se é o que você quer, se jogue nisso que você também vai conseguir.

Comentários fechados.