Co-op term – tempo de aprender

E assim, mais rápido do que eu imaginava, os quatro meses de estágio se passaram, e em breve estarei voltando pro college. A pós que eu estou fazendo é de um ano, com um estágio de quatro meses entre os semestres. O estágio é obrigatório, e pra minha tristeza, não remunerado.

Muita gente se confunde com os termos, e chama programas de estudo de co-op, mas co-op é apenas o período de estágio obrigatório durante o estudo. Como falei, a minha pós tinha um co-op no meio dos semestres, e foi esse período que terminei agora.

Esses quatro meses foram bem intensos e muito ocupados. Já que o estágio não era remunerado, tive que me virar e trabalhar nas horas vagas, ou seja, a noite e nos fins de semana. Foram três meses trabalhando 60 horas semanais, sem direito a dia de folga, mas eu sobrevivi, e no último mês quando diminuí minhas horas de trabalho já estava até achando chato ter tanto tempo livre, e foi da falta do que fazer que eu criei o blog! 🙂

O meu estágio foi no departamento de marketing da Prefeitura de Toronto, no departamento de Museus Históricos da cidade e lá fiz de tudo um pouco. Desde participar da criação de uma nova estratégia de marketing para os museus, redigir textos de comunicação interna, criar peças gráficas e incrementar as mídias sociais, provando que são eficientes através de relatórios. Foi uma experiência muito valiosa, e que fará toda a diferença no meu currículo quando eu iniciar a busca por um emprego full-time. Apesar de cansativos, esses meses foram muito bons. Conheci muita gente, ganhei experiência, trabalhei muito, mas também tive um pouquinho de tempo pra me divertir.

O processo de seleção para o estágio foi bem estressante. O college possui um site onde postam todas as vagas em aberto, e todo o processo é por conta do aluno. Você é responsável por olhar as vagas, se inscrever e participar da entrevista. Eles dão apoio pra fazer o currículo e algumas dicas pra entrevista, mas não influenciam na escolha do estagiário.

No início só me candidatei para as poucas vagas que eram remuneradas. E depois de uma entrevista em uma dessas empresas mudei o meu foco para os estágios voluntários. Na entrevista percebi que a vaga era para funções de menos importância, que não me acrescentaria nenhuma experiência – aquele típico trabalho onde o estagiário só faz o que ninguém quer fazer. Já era dezembro, todo mundo começou a ser contratado e eu ainda não tinha um co-op, comecei a ficar nervosa, mas não desisti, continuei me inscrevendo, até que numa semana iluminada, meu telefone não parou de tocar. 6 entrevistas agendadas, agora ia! Das 6, tinha duas que eu mais me interessei, uma era o meu estágio atual, e a outra era uma empresa de eventos.

A semana decisiva

Segunda-feira: Fui pra entrevista da City of Toronto (prefeitura), foi tudo ótimo, eu estava muito segura e calma. Uma hora depois, recebo um e-mail com a oferta de estágio, e tinha 24 pra aceitar ou recusar. Mas e agora? Ainda tinha a entrevista pra outra empresa que eu tinha gostado no dia seguinte. Ok, eu pensei, tenho 24 pra responder, é o tempo suficiente pra eu ir na entrevista e ver o que acontece.

Terça-feira: A entrevista foi bem informal, num café, com a dona da empresa e uma funcionária, foi tudo ótimo, e eu tinha certeza que eles gostaram de mim, mas e agora? Não me ofereceram a vaga ainda, e eu tinha que aceitar ou rejeitar a primeira oferta. Pensei, pensei e resolvi, aceitaria a primeira oferta. A empresa era mais reconhecida, e por mais que o trabalho não fosse tão empolgante, ficaria melhor no meu currículo. Aceitei, e no dia seguinte recebi a oferta da segunda entrevista, que tive que recusar.

Minha função no estágio era a princípio no departamento de patrocínios para os eventos, mas felizmente me mudaram para o departamento de marketing, e com o passar do tempo fui fazendo mais coisas que eu gostava de fazer. No primeiro mês eu não gostei do que eu estava fazendo, ficava muito tempo atoa e só fazia coisas chatas de estagiários, mas aos poucos as coisas começaram a melhorar. Os elogios começaram e junto com eles a carta de recomendação e uma extraordinária avaliação.

No último dia ganhei festinha de despedida e saí com aperto no coração, pois apesar de ser apenas um estágio, era uma coisa que eu estava realmente gostando muito de fazer. Agora acabou, foram ótimos quatro meses, e voltarei pro college pra mais um semestre. O que mudou? Tenho uma carta de referência, networking, um portfólio, mais experiência e mais coragem de encarar o que está por vir daqui a quatro meses!